Segunda-feira, 26 de Dezembro de 2011

Entrevista a Lilyanne Bloom



Entrevista a Lilyanne Bloom



1-  Quando começaste, mais o teu namorado, a fazer estes vídeos com imensos preliminares e sexo oral?

 

Começamos acerca de um ano com uma clip store no Clips4sale.com, então conhecemos a Camille e o Mike e, com a sua ajuda, nós fomos para um outro nível quando desenvolvemos o nosso website, Pornographic Love.

 

2- O que vos levou a praticar broches sensuais?

 

Nos nossos vídeos, nós estamos a mostrar a nossa própria vida sexual e, acontece que, é bastante sensual, apaixonante e cheia de amor, portanto é natural que emane sensualidade.

 

3- Tem sido uma experiência gratificante?

 

Definitivamente! Até agora, nós estamos a crescer a nível pessoal e técnico pois aprendemos com as nossas experiências quando produzimos e discutindo ideias com os nossos espectadores.

 

4- Quando é que esta ‘vídeo-experiência’ se tornou pública?

 

O meu namorado e eu temos um lado super exibicionista dentro de nós e desde que ele adquiriu a sua primeira camera de filmar, ele tem vindo a filmar-me, portanto acabou, naturalmente, por se tornar público. O site abriu em Julho de 2011.

 

5- Tiveram algumas referências/influências quando começaram? Se sim, quais foram?

 

Sim, nós fomos bastante influenciados pelo ‘The Art of Blowjob’ (A Arte do Broche). Adoramos o seu sentido estético e a atenção que têm para com detalhes, mas nós não vemos os seus vídeos regularmente, pois são nossos amigos.

 

6- E hoje em dia, ainda têm referências?

 

Nem por isso. Nós não vemos muito porno. Nós apenas fazemos o que sentimos na altura de filmar... Acontece que podemos estar a fazer algo bastante semelhante a outro casal e nem sequer temos conhecimento disso!

 

7- Como foi trabalhar com a Camille e o Mike, devido ao vosso website?

 

É maravilhoso trabalhar com eles. Nós ficamos amigos bastante rápido e é divertido ver como o Max e o Mike têm interesses semelhantes no que toca a tecnologia e iluminação (DIY) e, eu e a Camille, no que toca a musica e artes. Eles estão sempre presentes quando mais precisamos.

 

8- Vocês gostam do trabalho deles?

 

Claro que sim! Mas, honestamente, nós não vemos muito do seu trabalho...não queremos ser demasiado influenciados...

 

9- Como os conheceram?

 

Conheci o Mike e a Camille via Twitter… Nós falamos acerca de assuntos não-pornográficos e acabamos por ter um fantástico serão com eles e o resto aconteceu por si mesmo.

 

10- Acreditam que amor e carinho é algo bastante importante a ser mostrado nos vossos vídeos?

 

Para nós, é o mais importante a ser mostrado no nosso trabalho. Amor e sexo foram feitos para estarem interligados e, também, é algo que não se vê no porno, em geral.

 

11- Acreditam que isso é algo que está em falta no nosso mundo?

 

Eu penso que existe bem mais amor no mundo do que aquilo que pensamos, mas nunca é suficiente.

 

12- Tentam transmitir algum tipo de mensagem  nos vossos vídeos? Se sim, qual ou quais?

 

Nós não queremos, necessariamente, transmitir qualquer tipo de mensagem, mas se algo tivesse que sair do nosso trabalho, isso seria que estando apaixonado, nos ligarmos a alguém e termos sexo com essa pessoa duma forma saudável e consentida é simplesmente lindo, divertido e natural.

 

13- O que torna o vosso trabalho tão único entre tantos outros filmes – sexo oral, hetero e aqueles em que o homem toma todas as rédeas?

 

O que torna o nosso trabalho único é o facto de nós sermos um casal e partilhamos amor. Na maior parte de outras produções pornográficas que já vi, não é por o homem tomar as rédeas mas por haver duas ou mais pessoas juntas, em que a maior parte das vezes nem se conhecem e nem partilham ligação alguma, como nós temos ou como a Camille e o Mike têm, por exemplo. Na minha opinião, toda esta ligação é o mais belo que há e dá imenso prazer em ver.

 

14- Costumam ter imenso feedback?

 

O nosso site é ainda bastante recente, mas estamos a começar a ter imensos comentários positivos.

 

15- Já alguma vez receberam alguma crítica? Se sim, foram positivas ou negativas

 

Sim, já tivemos bastante feedback. A maioria eram bastante positivos e a muitos, surpreendentemente, provinham de mulheres e casais. Pessoas que acabam por ficar membros do nosso site estão à procura de algum porno que mostre amor e respeito.

 

16- Foram capazes de reter feedbacks importantes de algum comentário ou crítica?

 

Mas é claro. Eu leio todos os comentários que recebemos e eu tomo em consideração todas as sugestões. Algumas são realistas e outras nem por isso. Nós estamos a mostrar a nossa própria vida sexual no nosso site, portanto, desde se enquadre no que queremos e gostamos de fazer, ficamos contentes em experimentar.

 

17- Qual é a vossa opinião acerca da importância da masturbação e preliminares?

 

Masturbação, mutual ou privada, é simplesmente algo fabuloso. É uma enorme e importante parte da nossa vida sexual...como a masturbação matinal... E preliminares é a nossa sexualidade. Nós, muitas das vezes, fazemos amor sem penetração porque sexo é muito, muito mais que isso. Honrarmos o corpo do nosso parceiro e darmo-lhes prazer, de várias e diferentes maneiras, é bastante satisfatório.

 

18- O que pensam que ainda é necessário fazer para que as pessoas entendam que tudo isto é perfeitamente normal de ser fazer?

 

Eu julgo que as pessoas têm que redescobrir a sexualidade. Na época e era em que nos encontramos, muitas pessoas têm tido a sua aprendizagem sexual apenas vendo pornografia e não entrando em contacto com outros – se ligando a alguém, portanto queremos partilhar a ideia que sexo e amor têm que estar ligados.

 

19- Se fossem convidados a participar num filme pornográfico, aceitavam

 

Sim! Nós teremos o nosso primeiro filme disponível no Canadá em “encomenda na tv” em Fevereiro. Irá ser uma selecção dos nossos primeiros vídeos, mas estamos a planear para, na Primavera, produzir mais vídeos com cenas exclusivas.

 

20- Quais são as vossas opiniões quanto ao ambiente da pornografia comum?

 

Para mim, eu nunca conseguiria me envolver em pornografia em série. Eu nunca faria sexo com um grupo de estranhos, eu necessito de estar mentalmente atraída pelo meu parceiro e eu nunca conseguiria fingir orgasmos. Para além do mais, o meu corpo nunca conseguiria aguentar ter tantas pilas gigantes dentro dele... Eu tenho uma rata frágil, sabes... Mas agora a sério, não estou a julgar ninguém, todos têm a sua própria zona de conforto. Desde que as pessoas sejam respeitadas pelas suas escolhas, eu não tenho nada contra... Mas não é algo que seja para mim.

 

21- Pensas que isso necessita de ser alterado?

 

Sim e não. Há um mercado para tudo, desde a sensualidade até à brutalidade, de meloso para algo mais artístico. Como eu disse, desde que todos se sintam respeitados, está OK para mim.

 

22- Que mensagem gostarias de deixar para quem está a começar a fazer filmes porno? E para aqueles que estão a começar como actores/actrizes?

 

Façam o que mais vos excita… Não o façam apenas pelo dinheiro ou pela fama. E, se não gostam do que vêem, façam-no vocês mesmo!

 

23- Achas que devia de haver mais pessoas a gravarem as suas práticas de sexo oral e partilharem com outros?

 

Claro! Quanto mais, melhor!

 

24- Conheces o trabalho da Erika Lust? Se sim, achas que é por este caminho que a indústria pornográfica deve de seguir?

 

Eu conheço o nome… E, por ter visto o website dela, o seu trabalho é maravilhoso. Eu penso que precisamos de vários tipos de porno para agradar a todo o tipo de pessoas. Portanto eu não acho que a indústria porno deverá seguir as pisadas dela, ou até as nossas. Há espaço para muitos tipos de porno.

 

25- O que aprenderam com a Camille?

 

Ela ensinou-me imenso de como ser uma webmaster e acerca de aspectos técnicos sobre o nosso website. Ela também me ensinou bastantes truques de como interagir com outras pessoas na internet. Com ela, eu aprendo todos os dias.

 

26- O que ainda gostavas de fazer?

 

Eu adoraria fazer mais vídeos e filmes!

 

27- Que mensagem gostarias de dar para quem está prestes a iniciar a sua vida sexual?

 

Para eles, eu sugeria que aprendessem a cuidar do corpo de uma mulher e a não serem egoístas enquanto fazem amor. Para elas, eu diria-lhes para apreciarem e aprenderem a ficar à vontade com o próprio corpo. Para ambos, eu diria que o amor é a chave para uma vida sexual satisfatória. 

 

publicado por provoca-me às 22:40
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Beijando

Roubando-te beijos, abraços e caricias.

Pedindo, amor, respeito e fraternidade.

Beijando-te e acariciando-te

Querendo-te e conquistando-te

Desejando-te

Possuindo-te



Roubando-te beijos, abraços e caricias.

Pedindo, amor, respeito e fraternidade.

Quero-te fazer feliz.

Gosto de te fazer feliz.

Amo-te.

Desejo-te.

Quero-te.

Possuo-te.

Aprecio cada vez mais cada momento que estou contigo

Sinto o meu coração fervilhar quando estás por perto

A vida é para ser vivida com amor, com respeito e com a partilha de carinho e amizade.

O amor, o carinho e o afecto são bem mais importantes que a guerras, que os egoísmos, a hipocrisia e as faltas de respeito e de consideração.

O amor é mágico e faz-nos sonhar.

O carinho, e o afecto faz-nos ser mais alegres e felizes.

Tão bonita que pode ser a vida e tão alegre, com o amor, o carinho, o respeito, e a amizade.

Tão mais bonita será a forma de viver e a vida vivida com amor, carinho, respeito e amizade.

A amizade dá-nos vida.

O afecto e o carinho dá-nos felicidade

O ombro amigo dá-nos apoio

O amor dá-nos calor e sonhos.

E é assim que devemos viver.

Respeitando o próximo.

Amando cada vez mais quem está ao nosso lado.

Dizer uma palavra de incentivo, ou dar um abraço e um beijo.

A vida quer-se com alegria, respeito, carinho, e afecto.

A vida deve ser vivida com união, e deve ser aproveitada da melhor forma, aproveitando tudo o que ela nos dá. Alegria, paz, amor, fraternidade...

Vivam a vida assim. Façam com que os outros vivam assim a vida.



Quero que a vida seja feliz, e alegre, com amor, carinho e respeito.

Quero que todos sejam felizes. Quero que façam muito amor, que dêem muitos beijos e abraços e que façam muito sexo.



Letra escrita por Pedro Marques Baresi88



publicado por provoca-me às 18:28
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 24 de Dezembro de 2011

Interview - Lilyanne Bloom

Here are my answers:

1-When did you start, along with your boyfriend, making these videos with lots of preliminaries and oral sex?

 

We started about a year ago with a clip store on Clips4sale.com, then we met Camille and Mike and, with their help, we brought it to another level by starting our website, Pornographic Love.

 

2-What led you doing sensual blow-jobs?

 

In our videos, we are showing our very own sex life and it happens to be sensual, passionate and full of love, so it is natural to depict sensuality.

 

3-Has it been a rewarding experience?

 

Definitely! So far, we are growing on a personal and technical level by learning from our experiences in producing content and by discussing with our viewers.

 

4-When did you turn these 'video experience' public?

 

My boyfriend and I have both a very strong exhibitionist side and since he bought is first camera, he has been filming me, so it was kind of natural to make it public. The site launched in July 2011.

 

5-Did you have any references/influences when you started? If you had, who were they?

 

Yes, we have been very influenced by The Art of Blowjob. We love their aesthetic and their attention to detail, but we don’t really watch their videos too much, since they're our friends.

 

6-What about nowadays, do you still have any references?

 

Not really. We don’t watch very much porn. We do what we feel at the moment we are filming... We could do something very similar to someone else and we do not even know!

 

7-How was it working with Camille and Mike, because of the website?

 

It’s wonderful to work with them. We became friends very fast and it’s fun to see how Max and Mike have similar interests in tech and DIY stuff and Camille and I into music and arts. They are always there for us if we need them.

 

8-Do you like their work?

 

Of course! But honestly we don’t watch to much their work... we wouldn't to be too readily influenced...

 

9-How did you meet/got to know about them?

 

I met Mike and Camille on Twitter... We talked about some non-porn related stuff and we ended up having a supper with them and the rest started by itself.

 

10-Do you believe love and caring is something extremely important to be shown in your movies?

 

For us, it is the most important thing to show in our videos. Love and sex are meant to be together and it’s something we don’t see enough in porn in general.

 

11-Do you believe all that is pretty much lacking in this world?

 

I think there is more love in the world than we think, but we still always need more.

 

12-Do you try to pass on some kind of message in your videos? If you do, what messages?

 

We don’t really want to pass a message, but if something had to came out of our work it would be that being in love and connecting with someone and having sex with this person in a healthy and consenting way is truly beautiful, fun and natural.

 

13-What makes your work so unique, among all other movies - hetero oral sex ones and those where the man takes all the control?

 

Our work is unique in that we are a couple and that we share love. In most of the other porn productions I've seen, it’s not that the man takes control, it’s more that it’s two or more person, who most of the time don’t know each other and don’t have the connection we have or that Camille and Mike have, for example. I think that this connection is the beautiful thing and it is such a turn-on to watch.

 

14-Are you getting a lot of feedback?

 

Our site is still very young but we are starting to receive lots of positive comments.

 

15-Have you ever received any critic? If you have, was it/them positive or negative?

 

Yes, we’ve had a lot of feedback. Most of them are very positive and a lot a surprisingly coming from women and couples. People who become members of our site are looking for more pornography featuring love and respect.

 

16-Were you also able to retain some important feedback from any comment/critic?

 

For sure. I read every comment we receive and I consider every suggestion. Some are realistic and some others are not. We are showing our very own sexual life on our site so as long as it’s fitting in what we love to do, we are happy to try it.

 

17-What's your opinion about the importance of masturbation and preliminaries?

 

Masturbation, mutual or solo, is such a fabulous thing. It’s a big part of our sexual life... like morning handjobs... And foreplay is our sexuality. We often make love without penetration because sex is so much more than that. Honouring our partner's body and pleasing them in lots of different ways is very satisfying.

 

18-What do you need is yet to be done so people understand all of that is completely normal to do?

 

I think people need to rediscover sexuality. In this day and age, a lot of people have gotten their sexual education by watching porn and not by connecting with others, so we want to share the idea that sex and love have to be linked.

 

19-If you were invited to make a pornographic movie, would you do it?

 

Yes! We will have our first movie available in Canada on pay-per-view in February. It will be a selection of our first videos but in the Spring we are planning to produce more movies with exclusive scenes.

 

20-What's your thoughts about the common pornography environment?

 

For me, I could never evolve into mainstream porn. I could not have sex with a lot of strangers, I need to be mentally attracted to my partner and I could not fake orgasms. Also, my body could never handle having so many gigantic cocks inside me... I have a fragile pussy, you know... But really, it’s not to judge others, everybody has their own comfort zone. As long as the people are respected in their choices, I have nothing against it... It's just not for me.

 

21-Do you think it needs to be changed?

 

Yes and no. It has a market for everything from sensuality to brutality, from cheesy to artsy. Like I said, as long as everybody feels respected, it’s OK with me.

 

22-What message would you like to give to those who are only starting directing porn movies? And for those who are starting as actors/actresses?

 

Do what’s turns you on... Don’t do it only for money or fame. And if you don’t like what you see, then make your own!

 

23-Do you think there should be more people taping their oral sex practices and share it with others?  

 

Sure! The more there are, the better it is!

 

24-Are you familiar with Erika Lust's movies? If you are, do you think that's the way porn industry should go?

 

I know her name... And by checking her website, her work seems beautiful. I think that we need every kind of porn to please every kind of person. So I don’t think that all the industry should look like what she does, or what we do. There's room for lots of different kinds of porn.

 

25-What did you learn with Camille?

 

She taught me a lot about being a webmaster and about technical aspects of having your own site. She has also given me a lot of tricks about how to interact with people on the internet. With her, I am learning everyday.

 

26-What would you still like to do?

 

I would love to do more videos and movies!

 

27- What message would you like to give for those who are about to initiate their sexual life?

 

For guys, I would suggest them to learn how to take care of a woman’s body and to not be too selfish when they are making love. And for girls, I would tell them to appreciate and to learn to be comfortable with their own body. For both, I would say that love is the key for a satisfying sexual life.

 

 http://www.facebook.com/lilyannebloom

 

  http://lilyannebloom.com/

http://www.pornographiclove.com/

 

 

 

Interview by Pedro Marques

 

Translation and correction by Sílvia Dias

publicado por provoca-me às 02:35
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 21 de Dezembro de 2011

Vinho no corpo de uma mulher

Vinho no corpo de uma mulher

 

Gosto de ver o vinho a cair para o teu corpo e escorregar pelas tuas curvas belas e sensuais. Ver como é excitante e prazerozo ver o vinho a passar pelas tuas mamas, e pela tua barriga depois de eu ter deitado sobre ti aquele bocadinho de vinho que tinha naquele copo de vinho redondo. Como é fantástico observar o teu corpo arrepiado e ver algumas gotas do vinho sobre a tua pele arrepiada. É radiante ver como o vinho que é uma das coisas mais bem feitas pelo ser humano, fica tão bem no corpo sensual desta bela mulher. Desejo, desejo imenso lamber essa tua parte do corpo coberta por um líquido delicioso, poder beijar cada bocadinho da tua barriga e escorregando devagarinho até às tuas mamas redondas, que são no mínimo perfeitas ou até ao umbigo. Mas desejo tanto tocar-te, desejo tanto, como quando estavas com aquelas calças justinhas de ganga que se notava como tens um rabo tão que apetece tocar e beijar, com aquele top também justinho. E como é tão bom ver-te assim, como é bom ver que gostas de mostrar toda a tua sensualidade, toda a tua beleza. Mas eu não te desejo só por isso, que eu sei que me pões louco assim, mas as tuas palavras, o teu carinho, também me deixam perdido de desejo por ti. Amo quando me sussurras ao ouvido, ou quando passas com a língua pelo meu pescoço, na minha orelha e depois percorres com ela pela minha barriga, pelas minhas pernas, pelo meu caralho erecto, erecto só pelos teus beijos, pelo teu tocar no meu corpo com toda a tua delicadeza, e sensibilidade, e pelo modo como me beijas e como me dás carinho e afecto. E o quanto me deixas arrepiado com esses teus actos de amor, de carinho, e de desejo, de desejo sexual e de prazer que tens quando estás comigo e que queres partilhar comigo. Que desejas deitar-te em cima de mim, mas não deixo, não deixo porque antes quero beber o vinho que está no teu corpo, e bejar-te e tocar-te e deixar-te ainda mais louca de prazer, deixar-te ainda mais excitada e com mais tesão. Gosto de saber que te vou prender as mãos com um lenço, e não te deixar fazer qualquer movimento com elas, e saber o prazer que te vou dar ao provocar-te, com os beijos, com os dedos, com a minha língua. Provocar-te com tudo isto e tu sem me poderes tocar, mas só beber o vinho no teu corpo, e fazer-te chegar ao extâse, até conseguir levar-te ao máximo prazer, até ao orgasmo. Vou deixar-te lamber por momentos o meu caralho, as minhas carnes rijas, mas só um pouco, para mais tarde te dar toda a liberdade para o fazeres. E como é excitante sentir a tua língua a lamber o meu caralho bem teso, e ver-te a chupares-me, e como é extremamente delicioso. Mas gosto mais de ver a tua cara malandra de como se fosses uma menina e que te tiraram o rebuçado, depois de eu te ter tirado o meu caralho grosso e rijo da tua boca, mas para te continuar a presentar com carícias e com amor. Beijar a tua orelha, o teus pescoço e aguentar uns segundos e ouvir-te gemer de prazer, e depois dar-te um pequeno linguado, descer pelo pescoço ora beijando, ora lambendo e passando com os dedos, percorrer as tuas mamas, a tua barriga, saboreando o vinho e o teu corpo, passar pelas tuas coxas, beijar-te as pernas e por fim lamber-te a cona, e após uns minutinhos enfiar-te dois dedos e fazer-te gozar.

Retiro-te o lenço das mãos, e não perdes tempo em beijar-me e dar-me um grande línguado, e beijares-me cada pedaço do meu corpo, até chegares ao meu caralho e o beijares e acariciares delicadamente até me fazeres vir. Mas não te deixo se, te dar outro orgasmo e beijar-te de novo as mamas, a barriga, e a cona, e enfiar-te os dedos até conseguir levar-te de novo ao prazer máximo. E como adorei estes momentos que nos proporcionámos um ao outro com carinho, amor, sedução, tesão, delicadeza, com um copo de vinho e como fico louco ao ver o vinho no teu corpo e poder beijá-lo e bebê-lo.

 

 

Texto escrito por: Pedro Marques Baresi88

publicado por provoca-me às 16:38
link do post | comentar | favorito
|

Gaja especialista do Broche

Gaja especialista do Broche

 

 

É inacreditável o que se passou ali naquele lugar.

Tenho que tentar não me perder nas ideias porque estou no mínimo estupefacto com aquilo que senti e presenciei. E ainda estou a tentar acreditar, mas sim, sim, é possível, ela estava mesmo ajoelhada, e ele de pé de calças e de cuecas para baixo. Via-se a cara de gozo e satisfação dele enquanto ela lhe pegana no caralho e lhe fazia um broche, o masturbava, ou quando simplesmente lhe fazia uma garganta funda muito bem feita, e não, não demorou muito tempo até que aquele caralho grande e grosso se viesse. E ela a olhar para ele e depois para mim, com aquela cara de malandra e de safada. Assisti a este espectáculo fantástico numa casa de banho de uma discoteca em Lisboa.

Não havia mais ninguém na casa de banho, nem na discoteca como público, como era cedo, e pelo que me contaram, depois de terem visto por várias vezes que a esta hora não havia ninguém decidiram realizar o seu desejo, mas para minha felicidade acabei por assitir a esta maravilha e também fazer parte dela. Findo o jacto de esporra do Zé pilas, a jovem ata-lhe as mãos e os pés com uns lenços que trazia no bolso, e com o dedo chamou-me, e eu fui devagarinho até ela, depois desapertou-me o botão das calças, abriu-me o fecho das calças, baixou-me as calças e depois os boxers, colocou-me o preservativo e fez-me um belíssimo bico. Fiquei parvo com a forma como me lambia, como me masturbava e chupava, e como me deixou bem teso e bem excitado.

Havia silêncio absoluto, nem o gajo fez qualquer barulho, apenas se ouviam os nossos gemidos. Não apareceu ninguém, ela não me disse nada até eu me vir, e até me vestir, o gajo esteve sempre calado. No final ela disse-me que eu tenho um belo caralho. - Hmm, que belo caralho, foi tão bom chupar-te. Muito obrigado por me teres deixado chupar essa coisinha boa.

Escreveu o seu número num papel e colocou-o no meu bolso das calças e disse-me ao ouvido sussurrando - a próxima se quiseres será num sofá e não terás que o ver se quiseres.

Eu não lhe disse nada, apenas fiquei sem palavras, nem lhe consegui agradecer, nem nada. Sai da casa de banho, fui ao bar pedir champanhe, bebi o champanhe e fui-me embora dar uma volta ao pé do rio. E uns dois ou três dias depois mandei-lhe uma mensagem a dizer – não queres voltar a praticar aquela coisa boa de ginástica de mão e de boca, e pores de novo o meu caralho em sentido. Aparece no cinema às tantas horas.

Depois continuei a vaguear junto ao rio às tantas da manhã, a pensar na forma como me chupou e me pos o caralho bem teso e me fez explodir e excitar de tal maneira, e pensar como será melhor numa próxima vez no cinema se ela quiser. Ah sagrada boca, e sagradas mãos, estou ansioso por repetir e sentir de novo aquelas mãos e aquela boca.

 

 

Texto escrito por: Pedro Marques Baresi88

publicado por provoca-me às 16:38
link do post | comentar | favorito
|

Ser Desprezível

Ser Desprezível

 

 

 

Pára, está calada, já chega. Pára, acabou, já te disse para parares quieta não já?! Não te quero ouvir mais, não te quero ver mais, não quero que me toques. Metes-me nojo, não te suporto mais. O teu cheiro dá-me vómitos. Não consigo “sequer ouvir o teu nome” “ouvir sequer o teu nome”, já nem te consigo ouvir. Qualquer barulho que me faças já me incomoda demais. Provocas-me o terror na cabeça, só pelo barulho da tua voz, ou mesmo pelo som da tua respiração. E eu que outrora não vivia sem ti, hoje não sei como é que isso pôde acontecer. És reles demais, pobre de espírito, és suja, jogas baixo demais, e não consigo entender como ficaste assim, e como te tornas-te nesse ser desprezível que és hoje.

Mas deixa, não te vou bater, que não te vou bater. Eu sei que era o que tu querias, mas não te vou dar esse prazer, nem vou ceder ao teu insultuoso comportamento e à tua presença mesquinha e desagradável. Os teus comentários são miseráveis, tratando-me a mim e à minha família como lixo, como merda, e humilhando-nos constantemente. Mas eu não ligo peva a alguém que nem me chega aos calcanhares, nem é tão humilde como eu.

E agradeço que te ponhas no caralho, e que não me emprenhes mais pelos ouvidos, e que te reduzas á tua insignificânciazinha, seu ser desprezível, ser miserável. Nem sei como vives neste mundo, meu monte de merda. Por isso pára, está calada, já chega. Desaparece, deixa-me em paz, põe-te nas putas. Chacina-te, mata-te, mas deixa-me a mim e à minha família em paz e sossego.

 

 

Texto escritor por: Pedro Marques Baresi88

publicado por provoca-me às 16:33
link do post | comentar | favorito
|

Fode-lhe

Fode-lhe

 

Fode-lhe, força, fode-lhe, fode-lhe. Faz-lhe vir caralho, vá não páres foda-se, vá continua, fff, ai tão bom ver-vos assim, ai que tesão, ai tão bom mesmo, isso continua, fode-lhe, fode-lhe bem, faz-lhe vir com força, por isso excita-a bem. Isso que eu também me quero vir ao ver-vos assim. Dá-lhe, dá-lhe tudo. Hmm, ff, ai tão bom, isso, isso, vamos fode, fode bem, fode-lhe toda. Ai vocês minhas malucas, minhas doidas, fazem-me ir à lua e vir só de vos ver em grandes fodas, e totalmente excitadas e cheias de tesão, fico todo arrepiado e com o caralho bem rijo e duro por vos ver a darem amor uma à outra, a aproveitarem estes momentos de grande tesão e de foderem à brava, de se beijarem, e comerem fortemente uma à outra. Por isso peço-vos por favor fodam, e venham-se, por favor, por favor, por favor. Quero tanto ver-vos foder ainda mais e ver-vos chegar ao êxtase final. Deliro tanto ao ver-vos foder, e prefiro estar assim a ver-vos, foderem do que me meter no meio e estragar a festa. Deliro com os vossos gemidos e com os vossos corpos bem arrepiados, a roçarem-se entre si e com a tesão e excitação que está no ar deste quarto, e vocês em grandes loucuras fodásticas enquanto eu espero aqui sentado nesta cadeira e amarrado nas mão e nos pés como pedi, e para ver se comem o meu gelado e que também me façam vir. Ai que felicade deste momento, e o quanto fico doido ao ver-vos gozar e por ver os nossos corpos cheios de tesão, e por quererem vir novamente e ao mesmo tempo que eu, e de me virem encamisar, chupar e esgalhar o malho enquanto metem os dedinhos na cona e nos virmos à grande.

Ai que foi tão bom, ai que eu quero mais, que vocês são umas doidas e que grande tusa que me dão, e fico doido e que deliro imenso com os vossos corpos sensuais a seduzirem-se uma à outra e a tesão com que ficam quando o fazem, por isso vos peço mais, mais, quero mais, e mais.

 

 

Texto escrito por: Pedro Marques Baresi88

publicado por provoca-me às 16:02
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 19 de Dezembro de 2011

Police Abuse of Sex Workers: A Global Reality, Widely Ignored

When we think of violence against sex workers, we conjure up images of dangerous clients and serial killers who target prostitutes.  Indeed, the origins of the International Day to End Violence against Sex Workers, observed on December 17, lay in the decades-long serial murder of sex workers by the Green River Killer.  While these are heartbreakingly real forms of violence against sex workers, one area that receives scant public attention despite its entrenched global reality is police abuse of sex workers. 

The illegal status of sex work in most countries has not eradicated prostitution.  Instead, criminalization has increased sex workers’ vulnerability to human rights abuses and created fertile ground for police exploitation, especially of street-based sex workers.

For example, in South Africa, where sex work has been illegal since the former apartheid regime criminalized it in 1957, police officers often fine sex workers inordinate sums of money and pocket the cash, resulting in a pattern of economic extortion of sex workers by state agents.  For some sex workers, the cost of a police bribe to evade arrest can equal an entire night’s worth of work.  In other instances, police have exhibited shameless levels of exploitation: In one reported example, a police officer in Cape Town demanded a sex worker give him money in lieu of arrest; when the sex worker told him she possessed only a meager 10 South African rand, or the equivalent of $1.25, the police officer even pocketed that pittance.

In addition to economic abuse, police exploitation of sex workers manifests in other disturbing ways.  South African sex workers report that police confiscate condoms to use as evidence of prostitution; demand sexual favors in exchange for release from jail or to avoid arrest; physically assault and rape sex workers; actively encourage or passively condone inmate sexual abuse of transgender female sex workers assigned to male prison cells; and use municipal laws to harass and arrest sex workers even when they’re engaged in activities unrelated to prostitution.  “When you get arrested,” notes one sex worker, “they put you in the bad cells, with wet blankets, no food, no phone calls allowed. And not everything you had with you – money, cell phones, necklace – gets given back.”  Many sex workers get trapped in a cycle of arrests that only serves to drain state resources and further entrench sex workers’ vulnerability.    

Police abuse of sex workers is not a uniquely South African phenomenon. It is echoed in documented reports throughout the world, from New York City to Cambodia to Papua New Guinea to Eastern Europe and beyond.

Police are also often impediments to sex workers’ access to justice.  “To gather evidence of a crime against a sex worker, they have to first take it seriously,” argues one sex worker about the lack of police attention to reports of violence.  “If we go to the police to report abuse, we’re made fun of, we’re told ‘you deserve it.’ They chase you away,” notes another sex worker.  In addition, because of the continual police harassment they face, many sex workers don’t bother to officially report abuse to police.  Most sex workers’ experience with criminal justice systems is not as survivors of abuse but as “perpetrators” of the “crime” of prostitution.

Of course, not all police officers abuse sex workers.  There are police officers that seek to stop those who violate sex workers’ rights – whether they are clients, intimate partners, or police officers themselves.  But the moral stigma that is attached to the criminalization of prostitution often leads to the deeply offensive attitude, on the part of some police, prosecutors, and others, that sex workers somehow consent to abuse.  Prohibitionist legal regimes insist that all sex workers are criminals, making it almost impossible for society to view sex workers as legitimate victims of violent crime when it occurs.

Criminalization, sadly, has resulted in the invisibility of violence against sex workers to societies-at-large.  Decriminalization would allow sex workers to come out of the shadows and defend their rights, ensuring that the crimes committed against them by police and others will no longer be hidden. 

But even under prohibitionist regimes, much can and should be done to ensure that police cannot abuse sex workers with impunity. Police departments must train law enforcement to treat abuses against sex workers with the same attention and urgency they would give reports by any victim of violence. Police and justice departments must properly investigate and punish police officers accused of economically or physically abusing sex workers.  Formal police outreach to sex workers must ensure that those who have been the victims of violence, even while committing prostitution, will be given assistance and will not themselves be prosecuted for breaking anti-prostitution laws.

Sex workers deserve the basic respect and protection from violence that each nation owes its citizens.

publicado por provoca-me às 00:33
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 18 de Dezembro de 2011

O Casal Tesão

O Casal Tesão

 

O casal tesão que à primeira vista é um simples casal mas que o seu tempo livre é aproveitado e tudo o que mais gostam é de foder. É o seu desporto favorito, o seu passamento favorito, é mesmo tudo o que mais gostam de fazer, foder, e quer seja à canzana, quer seja de 4, quer seja de missionário. E também gostam imenso de foder em qualquer lado, como na praia, na discoteca, nos bancos de jardim, em casas de banho públicas, e entre outros sítios interessantes que podem imaginar ou desejar. O pichas gosta de usar calças de ganga, e umas tshirts brutais do provoca-me perfeitamente desenhadas pelo João Diogo. Não tem piercings, nem tatuagens, mas está sempre a dizer que se tivesse uma pila enorme que tatuava lá a dizer: tenho um grande caralho. Calça umas sapatilhas da Vans ou uma merda do género, umas meias dos Simpsons, o cabelo anda sempre despenteado porque não tem paciência para se pentear. A Maria qualquer coisa gosta de usar umas saias e mini-saias, tipo “fode-me já aqui que é bom, que eu quero e que estou no mínimo apetecível.

Ouve-se falar muito no casal tesão, ora porque são vistos a foder a num qualquer vão de escadas, num capô dalgum carro, ou mesmo à porta de casa. Já que eles não têm qualquer problema de foder na rua, ou em qualquer outro sítio vísivel e até lhes dá gozo em fazê-lo e se têm vondade fazem-no e pronto. Primeiro beijam-se loucamente, às vezes ficam a brincar nos preliminares, noutras apenas se despem logo depois dos línguados, tiram o preservativo e: fode-me fode-me meu amor, fode-me minha puta, fode-me meu cabrão que eu gosto tanto e que é tão bom. Nem os bófias já perdem tempo em pô-los no chelindró porque já é uma perda de tempo, depois de tantas vezes que já os prenderam, que já nem vale a pena. Mas agora a história é outra, para além de terem desistido de os prender de novo a cada vez que os apanham, e em vez de os porem na ordem, agora batem umas pivias, ou elas brinca com a menina e metem dois dedos de conversa com ela, e se estão duas polícias juntas, ou um casal de polícias heterossexual aproveitam a viagem e vão à descoberta do corpo humano, e no casal hetero experimentam o entra e sai.

 

Ai o casal tesão, o casal tesão, toda a gente adora o casal tesão, viva o casal tesão. Que fode em todo o lado, que fode como os coelhos e que gosta de aproveitar os seus dotes para a foda, e a sua beleza corporal, e que adora provocar o bem alheio. Ai o casal tesão, viva o casal tesão.

 

Texto escrito por: Pedro Marques Baresi88

publicado por provoca-me às 01:16
link do post | comentar | favorito
|

A puta

A puta

 

A puta caminhava rua abaixo sempre que aquele cliente a requizitava. Caminhava de cabeça erguida, como o cabelo bem penteado ao meio e de rabo de cavalo com um elástico cor de rosa e com uns ganhos prateados na cabeça. Aquele cabelo comprido e loiro que ela tanto gostava de cuidar.

Os seus olhos azuis olhavam para a rua movimentada.

Continuou a caminhar até chegar ao prédio, tocou à campainha. O gajo já estava à espera, estava sentado na sala a ouvir Assacinicos.

Ele estava vestido com umas calças de ganga azuis, as calças de ganga normais, uma tshirt do Kurt e umas sapatilhas pretas, o cabelo estava molhado porque tinha acabado de tomar banho, e cheirava bem, tinha posto desodorizante e perfume. Ela estava com um top provocante, com uma mini-saia curtinha. Ele abriu a porta do prédio, ela ia subindo até ao 2º andar e enquanto estava a subir vinha logo atrás um chavalo, que entrou logo a seguir a ela, o chavalo tem os seus 18 anos talvez, não sei precisar. A gaja apercebeu-se que ele vinha atrás dela, então começou a provocar o rapaz, a subir as escadas devagarinho, para que ele pudesse espreitar bem por baixo da mini-saia. Ela olhou umas duas ou três vezes para o rapaz e viu que estava todo corado, e que em baixo já se notava um alto, aliás um grande alto. Chegou ao 2º andar, mas perguntou onde é que o rapaz morava. - Oh. oh, oh minha senhora, moro no andar de cima. - Eu acompanho-te.

Lembrou-se que o cliente podia esperar mais uns cinco minutos, ou mais.

Ela aproxima-se do rapaz e sussurra-lhe ao ouvido enquanto lhe mete a mão por dentro da camisa e pergunta-lhe - Então miúdo tens alguma coisa para fazer agora? - Hã, hmm, pois, não sei. - Ah, ah ah, jovem, não estejas atrapalhado. - hmm pois.

Chegaram finalmente ao andar, e ele abriu a porta, e ficou sem saber o que dizer e o que fazer. Então rapaz? Entramos? Para te tratar desse alto. - Sim, sim, entra, entra, podemos ir para a sala que não está cá ninguém. Entraram para a sala, ela disse para ele se sentar. E perguntou. Tens camisa? Camisas??? O que é isso? Sim, puto, preservativos. Ah não. O que vale é que eu sou uma gaja muito prevenida. Sem perder tempo, baixou-lhe as calças de fato treino com os dentes, puxou-lhe a camisola para cima, e beijou aquela barriga lisa e aquele caparro, bem trabalho, e deu-lhe um pequeno linguado. Ele veio-se enquanto ela lhe estava a beijar e quando tinha acabado de tocar no Zé Caralho, limpou-lhe, levantou o Zé de novo com as mãos, enfiou-lhe a camisa com a boca, masturbou-lhe um pouco, e fez-lhe um grande broche, deu-lhe um grande linguado e sussurrou-lhe ao ouvido – hoje tiveste muita sorte, porque eu sou puta e as putas combram dinheiro por estas merdas, e ainda tiveste a sorte de eu te ter feito um belíssimo broche. Ele não teve reacção para falar, mas a cara dele estava radiante. A puta antes de sair da casa dele pisca-lhe o olho, dirigiu-se à porta de casa e saiu, desceu as escadas, tocou à campainha do respectivo cliente, entrou, recebeu a pasta, pediu desculpa. - Peço desculpa, mas o vizinho de cima pediu-me para falar com ele, e pronto estive a falar com ele. - Não tens que pedir desculpa de nada, mas estava ansioso e achei estranha a demora.. - Pronto, acabou-se esta de merda desta conversa fiada, e vamos ao que interessa que é pinar. E hoje será na cozinha. Tira os preservativos que tens no bolso de trás, que eu sei que já estás preparado. Mandou-o sentar em cima da mesa da cozinha, apalpou-lhe o caralho antes de lhe tirar as calças e até fazê-lo ficar teso, assim que o caralho estava duro, abre o botão das calças, abre o fecho, tira o bergamalho de dentro dos boxers, enfia o preservativo com a boca, faz-lhe um grande broche até ele gozar. Limpa-o, po-lo duro de novo, e salta-lhe para cima, cavalgando, de costas para ele até se vir de novo, lambeu-lhe o caralho de novo, e deu-lhe dois beijos na cara.

 

Texto escrito por: Pedro Marques Baresi88

publicado por provoca-me às 01:15
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Eva Plaisir com desejos

. Sexo oral só é pecado “ca...

. Ponto Quê? O Prazer no Fe...

. Eva Plaisir lê o texto Al...

. Orgias Homossexuais no Va...

. Mulher Abandonada

. Entrevista a Lilyanne Blo...

. Beijando

. Interview - Lilyanne Bloo...

. Vinho no corpo de uma mul...

.arquivos

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

páginas pessoais
blogs SAPO

.subscrever feeds