Quinta-feira, 28 de Abril de 2011

Continuação da História Um Passeio Por Viseu

Tomaram banho para relaxar, depois de terem tido aqueles longos minutos de sexo, de longo prazer, ficaram a beijar-se durante os minutos de relaxe. Foram jantar, no restaurante do Parque de Campismo, não era grande merda, mas para o que era servia, pediram uma garrafinha de vinho da região, e como não estava lá mais ninguém pediram para por umas velas na mesa e desligar algumas luzes para ficar mais intimo. Depois do jantar romântico, ou pseudo-romântico. Decidiram dar uma volta junto ao rio, deram uns linguados, uns agarranços, uns apalpanços, conversaram um pouco e foram-se deitar para a tenda pois estavam cansados, tinha sido um dia em grande. Mal se deitaram adormeceram logo, o conas passado umas horas acordou todo atarantado e com uma puta duma tesão, tinha estado a sonhar que estavam a ver um filme porno e acordam os dois e acabam a foder. Ele como estava super-excitado, começa por lhe beijar o pescoço, enquanto passava com os dedos pelas costas, sobe até à nuca, com esta investida, ela acorda, mas acorda toda molhada, sorri pois ele estava a provocá-la e a excitá-la, mas começa-se a aperceber que o medricas estava a perder a pica toda, por ter medo da reacção dela, mas a reacção dela não era de desaprovação, mas sim de aprovação, mas ele tinha medo na mesma, “Porque é que paras-te, foda-se?!”, “Começas-te, agora continuas, deixa de ser coninhas, caralho”. O Zézinho não esboçou qualquer palavra, apenas ficou surpreso. Apesar de lhe ter agradado a ideia de poder continuar com a investida o Zézinho já não a procurou com a mesma intensidade e a mesma excitação. Ia-lhe roubando uns beijos, ia percorrendo o corpo com carícias, com o dedo fazendo vaivém para cima e para baixo para ela ficar arrepiada e senti-la excitada, mas apesar destas investidas, e da procura da excitação dela, ela foi-se apercebendo cada vez mais que a força toda dos preliminares que ele a acordou se tinham desvanecido porque ele tinha medo da aventura, medo de arriscar, ainda assim continuou com os preliminares e a seguir com o sexo, com os beijos no pescoço, a vir até às mamas, trincar-lhe os mamilos ao de leve, passou com a língua e os dedos ao de leve na barriga, passou pelas coxas, pela virilha, e voltando atrás até à barriga. Tentando sempre dar mais prazer, mas o cabrão estava nervoso e apesar de a estar a beijar nos pontos sensíveis ela notava que ele estava tenso. A Xana passou-se e disse “Foda-se dá cá já a piça e acabamos já com isto, para ver se dormes e reflectes na tua cobardia, na merda das tuas mariquices”, ela agarra-lhe o caralho, e começa-lhe a chupar com rapidez, enquanto lhe fazia um vaivém com a mão, batendo-lhe uma bela punheta. O gajo esporrou-se todo e virou a cara para o lado de vergonha. Mas ela não se deixou ficar, – Hey oh mariquinhas olha para mim caralho! Viste seu conas é preciso mexeres-te, é preciso fazeres as coisas sem medos, com tesão mas sem medos caralho! É preciso que tenhas tomates para seguir em frente na hora H!

publicado por provoca-me às 14:19
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 12 de Abril de 2011

Sejam Bem-Vindos

Decidi escrever só agora, mas mais vale tarde do que nunca, que sejam todos muito bem-vindos espero que gostem dos textos e que possam divulgar este trabalho de escrita. O blog ainda terá algumas entrevistas, reportagens, fotos, vídeos, muita provocação, muita sedução e excitação, mantenham-se por ai e espero que curtam este trabalho. Até já.

publicado por provoca-me às 13:49
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 6 de Abril de 2011

Continuação de Um Passeio Por Viseu

Saíram do Monumento foram dar a última voltinha antes de irem para o Parque de Campismo tomar um banho refrescante, jantarem e depois dormirem, tinha sido um dia cansativo. Nessa noite ficariam pelo Parque, nas próximas ainda iam decidir, como iam passar aqueles dias à aventura. Queriam fazer novas experiências, tentar realizar algumas das fantasias que tinham em mente, ou que já tinham falado e que gostavam de as realizar.

Assim que chegaram ao Parque dirigiram-se à tenda, ficaram a descansar um pouco. Acordaram, foram ver se viam alguém na zona dos balneários, estava tudo calmo, tudo sereno, viram que não estava ninguém e foram tomar banho juntos, sem antes se certificarem de novo se estava alguém, para não serem surpreendidos. A Joana seguiu à frente para ver se estava alguém e ele foi atrás, ficou à porta a espreitar e à espera do sinal e a preparar-se para uns longos minutos de relaxe, sedução, erotismo e muito amor. A Joana apareceu a piscar o olho ao Zé fazendo sinal ao mesmo tempo com o dedo aprovando a entrada dele, no entanto ia ser mais um grande risco, mas ele já estava resignado já sabia que tinha uma mulher lindíssima ao lado, uma grande loba mas muito maluca, era algo que já estava habituado, mas naquele dia estava a ser demais, embora fosse com muita adrenalina ele estava a gostar muitos, pois senão entrasse no jogo não ia curtir nada o momento nem aqueles dias que tinham tirado para ficarem sozinhos…

Entraram no chuveiro a Joana despiu-o, atou-lhe as mãos e os pés para que ele não pudesse sequer ousar tocar-lhe e ela poder guiar o momento seu bel-prazer. Poder-lhe tocar, acariciar, morder e ao mesmo tempo aumentar o prazer, aumentar o desejo e a tesão que ele tinha por ela naquele momento.

Começou por beijá-lo na boca mas ia tirando os lábios dela dos dele, tirando e pondo de novo a língua, passá-la suavemente e tirá-la de novo insinuando que lhe ia dar um linguado para provocá-lo, como isso o deixava louco. A Xana demorou alguns minutos nesta iniciação dos preliminares com beijos de língua, passou então a passar-lhe o sabonete entre o corpo dele sempre ao maior detalhe e com a maior leveza… Para poder voltar aos preliminares, atacar com mimos, carícias. Posso dizer que ela estava a ter um prazer enorme em poder estar ali a amá-lo, adorá-lo, venerá-lo, beijá-lo no seu corpo todo sedento de desejo, beijá-lo nas “partes mais sensíveis”, passar-lhe a língua no corpo e dar-lhe umas pequenas dentadinhas, ele estava sem fogo, gemia de prazer, com tanta torturazinha carinhosa, de tantos beijos e carícias ele já estava quase a explodir de prazer, depois de tanta provocação, de tanta investida a Joana decidiu abrandar o ritmo e ir directa à picha pois sabia que ele não tardaria muito estaria a vir-se e ela queria beijar a picha, lambê-la e senti-la dentro de si. Lambeu, beijou, tocou naquele pedaço de carne teso, bem teso, grande e que estava prestes a explodir, mas o quanto ela adorava tê-lo dentro da sua boca, acariciá-lo, tocá-lo, senti-lo, mas sabia tinha que parar, sabia que tinha de o fazer para poderem ter alguns minutos de sexo, para poderem foder com o máximo prazer, então tirou a picha da boca e introduziu-o na sua “coninha”. Enquanto fodiam ia tirando a picha e pondo de novo para poderem ter mais algum tempo de prazer, embora não tivesse sido muito, mas tiveram cerca de 5, 10 minutos, mas que foram brutais pois estavam os dois cheios de prazer e aqueles minutos foram fantásticos, pois puderem sentir o corpo um do outro, e ser a melhor foda até então, com mais amor, mais entrega, onde nunca se tinham sentido assim tão desejados um pelo outro... continua

publicado por provoca-me às 18:30
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 5 de Abril de 2011

Um Passeio Por Viseu

Um Passeio Por Viseu

 

Um casal decidiu ir passar os dias de férias a Viseu, durante esse tempo queriam passear pela cidade, para fugir da rotina, aproveitar a vida, conhecer cidades novas, tirar uns dias para namorar num local mais sossegado, sem estarem sempre a encontrar os amigos, queriam momentos mais íntimos. Na primeira noite ficariam numa tenda como nunca fodido numa tenda, e queriam explorar coisas novas, foram aventurar-se.

 

Certo dia andavam a tirar fotos aos monumentos, às ruas, às paisagens, e paravam algumas vezes pelo caminho, riam-se e beijavam-se à medida que iam caminhando, iam passando as mãos pelo corpo um do outro, entram e continuam a provocar-se, encontram um monumento sem ninguém lá dentro a visitar e onde lhes parece que seja o local mais indicado para passar alguns momentos loucos e cheios de tesão, e como a cada momento que passava o desejo de se possuírem aumentava, e como estavam sozinhos, cometeram o risco de continuarem nos linguados, nos “apalpões”, ao fim de alguns minutos nestes belos preliminares a Joana começa-lhe a desapertar os botões da camisa, a dar-lhe beijos no pescoço, no peito, e volta ao peito, beija-lhe a nuca, enquanto o Zé se ia contorcendo de prazer., sussurra-lhe ao ouvido palavras doces e amorosas. Volta a percorrer o corpo dele com beijos e carícias, passando pela barriga até chegar à zona das calças, desapertar o botão das calças e abrir-lhe o fecho, voltar ao pescoço, e sempre percorrendo o corpo com a língua dando-lhe beijos “lambidelas”. Depois de passar pelo pescoço vir descendo pela barriga, lamber-lhe o umbigo, despir-lhe os boxers com os dentes, tirou-lhe as cuecas, beijou-lhe as virilhas para lhe dar ainda mais prazer e torturar-lhe mais um bocadinho, passou às pernas antes de passar ao caralho dele, enquanto ele ia dizendo “ai Joana, estás maluca, aqui é muito arriscado, não devíamos fazer isto e se vem alguém”, ela retribui-o o recado “ xiu, cala-te deixa-me comer-te, aproveita mas é o momento, que este momento é nosso, não terás momentos assim todos os dias, por isso não percas tempo com esses pensamentos, pensa é em mim e na minha língua que te está a dar prazer e a torturar…” e o Zé ficou em silêncio enquanto a Joana continuava a divertir-se a passar a língua por aquele corpo que de certo modo lhe pertencia.

Os beijos dela deixavam-no perdido de desejo, embora ele estivesse receoso, mas a Joana continuava com as suas investidas e cada vez com mais vontade de o deixar completamente louco de tesão, continuo-lhe a beija e a lamber as pernas, até vir às coxas, veio ao rabo, começou a dançar com a língua outra vez à barriga, “como a Joana está a delirar com aquela tortura de preliminares”. Por final dos beijos e das carícias beijou-lhe as coxas e o rabo e foi às virilhas primeiro de um lado e depois do outro, antes de lhe atacar nos colhões e no caralho. O Zé já não aguentava muito mais que a Xana continuasse nestes preliminares, naquele vai e vem com os lábios, a língua então pedi-lhe “vá lá amor, lambe a piça, fazemos sexo e vamos embora daqui” a Joana riu-se e ripostou “pronto está bem ganhas-te, porque como te quero foder contigo ainda, desta vez escapas, mas da próxima já sabes…” Zé – “és doida demais para estas coisas, mas deixas-me doido e és uma mulher tão linda e espectacular”. A Joana passou ao broche, enquanto ele já se contorcia todo, entre lambidelas, beijos, investidas com a mão, grandes vai e vem com a boca e com a língua, o Zé disse-lhe, “ou introduzes já o caralho, ou não há foda para ninguém”! 

Acabaram de foder, beijaram-se no final, vestiram-se viram o resto do monumento, porque não tiveram tempo, mas entretanto tinha entrado um casal e quando passaram por esse casal que lhes sorriu e piscou o olho, sinal de terem gostado de ouvir as aventuras da Joana e do Zé... Continua.

publicado por provoca-me às 00:39
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 1 de Abril de 2011

Entrega

 

Entrega

 

Entrego-me a ti, porque gosto de ti, quero estar contigo todos os dias da nossa vida, partilhar todos os momentos, os bons e os maus. Amar-te para todo o sempre, desejar-te ainda mais, possuir-te. Estar contigo a cada momento é um sonho realizado, poder estar contigo, tocar-te, acariciar-te, poder cheirar-te, ouvir os teus sussurros. O prazer que me dás só de estares ao meu lado, de sentir o cheiro, sentir o teu perfume. Poder ouvir um Amo-te do fundo do coração com a tua voz doce e sensual ao ouvido. Como é bom estar ao teu lado, dar e receber carinho, amor, dar-te beijinhos no pescoço, passear pelo corpo ouvindo os teus guinchinhos de prazer, de luxúria, de amor. Pedires-me para estar nos teus braços, possuir-te, introduzir o meu pénis em ti, acariciar-te mais e mais, beijar-te loucamente como se não houvesse amanhã. Como é tão bom ter estes momentos de prazer contigo, estar abraçado a ti, sentir o teu coração a bater de tanto prazer ao estar a possuir-te. Sentir-te a ferver ao poder lamber o teu corpo doce sedento de paixão, de loucura, pedindo sempre mais e mais. Tocar-te nos mamilos e senti-los grandes e rijos, cheios de tesão, é uma sensação maravilhosa, saber que estás comigo, que estás a sentir o mesmo desejo que eu, que me amas, que queres sentir a minha carne dentro de ti, os meus doces lábios percorrer cada parte do teu corpo, dando pequenas dentadinhas, e saber que gemes de prazer por cada investida minha, Excita-me ainda mais que ficas louca quando passo com a minha língua nas tuas mamas, no teu pescoço, passar pela tua barriga, pelas tuas pernas… Fico ainda mais excitado com a tua entrega no meu corpo, em mim, na nossa paixão, no nosso amor sem limites. Entrego-me a ti sabendo que a tua entrega é também desejosa de receber tudo, partilhar…

És a pessoa que mais desejo, que mais quero ao pé de mim, e só de estar ao teu lado tremo, fico louco, só penso em ter-te nos meus braços, e amar-te, possuir-te em querer-te mais, para sempre, que nunca me abandones, que sejas minha e possamos fantasiar, viver, amar…

publicado por provoca-me às 01:29
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Eva Plaisir com desejos

. Sexo oral só é pecado “ca...

. Ponto Quê? O Prazer no Fe...

. Eva Plaisir lê o texto Al...

. Orgias Homossexuais no Va...

. Mulher Abandonada

. Entrevista a Lilyanne Blo...

. Beijando

. Interview - Lilyanne Bloo...

. Vinho no corpo de uma mul...

.arquivos

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

páginas pessoais
blogs SAPO

.subscrever feeds